Você está aqui
Home > Brasil > Imagens mostram entrega de propina aos indicados de Temer e Aécio

Imagens mostram entrega de propina aos indicados de Temer e Aécio

As primeiras imagens que acompanham a delação da JBS foram divulgadas pelo jornalista Lauro Jardim, de O Globo, nesta quinta-feira (18/5). Nelas, o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), destacado pelo presidente Michel Temer (PMDB/SP) para tratar com Joesley Batista dos interesses de seu grupo empresarial, é flagrado pegando R$ 500 mil em propina. O valor seria a primeira parcela de um montante prometido de R$ 480 milhões.

As cenas atingem diretamente o senador mineiro Aécio Neves (PSDB/MG). A Polícia Federal filmou o primo dele, Frederico Pacheco de Medeiros, pegando, supostamente a mando do tucano, R$ 1,5 milhão em propina — três quartos dos R$ 2 milhões que Aécio pediu, sem saber que era gravado, para Joesley, um dos donos da JBS.

As cenas abaixo mostram a primeira entrega a indicado de Temer em 28 de abril, feita pelo deputado Rodrigo Rocha Loures:

Reprodução/O GloboREPRODUÇÃO/O GLOBO

 

Primeira entrega de dinheiro a primo de Aécio, em 12 de abril:

Reprodução/O GloboREPRODUÇÃO/O GLOBO

 

Segunda entrega de dinheiro a primo de Aécio, também em 12 de abril:

Reprodução/O GloboREPRODUÇÃO/O GLOBO

 

Em uma gravação feita por Joesley Batista, dono da JBS, em março deste ano, o presidente Michel Temer dá o aval para que o silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) seja comprado.Segundo a reportagem, o empresário informou a Temer que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ambos ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: “Tem que manter isso, viu?”.

Na conversa, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures para resolver um assunto da J&F — holding que controla a JBS, maior produtora de carne do mundo. Posteriormente, Loures foi filmado pela PF recebendo a mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. O dinheiro seria parte da mesada.

Aguarde mais informações

Fonte: Metrópoles

Deixe uma resposta

Top