Você está aqui
Home > Utilidade Pública > O luto diante da morte de crianças e adolescentes

O luto diante da morte de crianças e adolescentes

 

O Hospital da Criança de Brasília e o Hospital da Ceilândia promovem, nos dias 06 e 07 de abril, a Primeira Jornada de Cuidados Paliativos em Pediatria.

 

 

A realização da I Jornada de Cuidados Paliativos em Pediatria foi planejada para provocar a discussão entre profissionais de saúde, médicos especialistas, pediatras e gestores sobre o cuidado de crianças acometidas por doenças crônicas graves. O luto de receber a notícia da ausência de boa saúde e dos riscos envolvidos, incluindo a possibilidade de terminalidade precoce, e a dor sentida com a concretude da morte são experiências difíceis, mas que podem ser vividas com o amparo de profissionais preparados.

 

Apesar de, tradicionalmente, o foco do cuidado ainda ser a doença e a atenção hospitalar, já há protocolos e diretrizes nos sistemas de saúde em todo o mundo que habilitam a família e a comunidade a lidar com as doenças que não têm cura e que apresentam maior vulnerabilidade a complicações e terminalidade precoce na infância e na adolescência. Essa abordagem necessariamente perpassa pelo envolvimento de equipes multi e interdisciplinares, construindo a linha do cuidado e proporcionando os meios técnicos e emocionais, ao paciente e à família, para lidar com os diferentes tipos de luto.

 

 

Local: Auditório da Faculdade de Ceilândia – FCE, Universidade de Brasília (Centro Metropolitano, conjunto A, lote 1 — Ceilândia Sul CEP: 72220-900 – Brasília-DF)

Programação 

 

06 de abril

 

8h às 8h30 – Credenciamento

 

8h30 – Cerimônia de Abertura

09h – Condições crônicas pediátricas – o cuidado além da cura

Andrea Nogueira Araújo, Pediatra e Diretora do Hospital Regional de Ceilândia

9h30 às 12h30 – Mesa Redonda: Terminalidade

Limitação do Suporte de Vida e cuidados paliativos para crianças: o cenário no Brasil

Patrícia Lago, Pediatra intensivista – Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Terminalidade no período neonatal: Limitação do Suporte de Vida e cuidados paliativos

Neulânio Francisco de Oliveira, Intensivista neonatologista – Hospital Materno Infantil de Brasília

Cuidados paliativos, terminalidade, espiritualidade

Giselle de Fatima Silva, Psicóloga e Gerente de Psicologia – SES/DF

Perguntas e Discussão

12h30 às 14h – Intervalo para o almoço

14h às 15h30 – Mesa Redonda: Os cuidadores diante da terminalidade infantil

O luto experimentado pela equipe multiprofissional perante a morte de crianças e adolescentes

Silvia Coutinho, Psicóloga – Hospital de Apoio de Brasília

Cuidando do cuidador: ações de suporte à família

Aline Cristiane Cavichioli Okido, Enfermeira – UFSCar

Perguntas e Discussão

15h30 às 18h – Mesa Redonda: Terminalidade na infância e adolescência

Terminalidade iminente, uma ameaça constante: o cuidado paliativo no câncer pediátrico

José Carlos Córdoba, Pediatra oncologista, Hospital da Criança de Brasília

Paralisia Cerebral grave: construir a linha do cuidado no Distrito Federal

Andrea Nogueira Araújo, Pediatra e Diretora do Hospital Regional de Ceilândia

Assistência tecnologia-dependente em domicílio

Laerte Honorato Borges, Programa Melhor em Casa – Uberlândia-MG

Os desafios da terminalidade nos casos de insuficiência renal

Luciano Máximo, Nefrologista pediátrico – Hospital da Criança de Brasília

Perguntas e Discussão

16h30 às 18h – Mesa Redonda: Os cuidadores diante da terminalidade infantil

O luto experimentado pela equipe multiprofissional perante a morte de crianças e adolescentes

Silvia Coutinho, Psicóloga – Hospital de Apoio de Brasília

Perguntas e Discussão

07 de abril

 

8:30 às 11 horas – Mesa Redonda: Envolvendo a comunidade

 

ABRACE: Inspirando a organização de novos grupos de suporte a famílias de crianças acometidas com doenças crônicas graves

Ilda Peliz, Presidente – Abrace

Musicoterapia: como proporcionar experiência transformadora de enfrentamento a partir da música

Claudio Vinicius, Musicoterapeuta – Hospital da Criança de Brasília

Programa de Educação Precoce da Secretaria de Educação do Distrito Federal

Albenira Soeira, professora – SEE/DF

Perguntas e Discussão

11 às 12 horas – Apresentação de pôsteres e inscrição para oficina de trabalho

14 às 16 horas – Oficina de trabalho: Construindo a linha do cuidado para crianças com paralisia cerebral grave no DF

16 horas – Encerramento

Deixe uma resposta

Top