Você está aqui
Home > Brasília > Sandra Faraj apresenta nova versão e de novo não comprova pagamentos

Sandra Faraj apresenta nova versão e de novo não comprova pagamentos

Virou piada nos corredores da Câmara Legislativa do Distrito Federal, a defesa apresentada ontem pela distrital Sandra Faraj ao Corregedor da Casa, deputado Juarezão. Segundo informações, mais uma vez ela não comprova pagamentos que teriam sido feitos à empresa NetPub, e chama a defesa de “atualização” de nova versão.

Inicialmente, Sandra havia informado que guardava em casa, R$ 150 mil em espécie. Segundo a parlamentar, o valor foi usado para pagar, em parcelas mensais, os serviços prestados pela empresa Netpub. No documento entregue à CLDF nesta terça (18), a defesa da distrital retifica a versão e diz que só usou o dinheiro que mantinha em casa para quitar a primeira prestação acordada com a Netpub. O restante teria sido pago com dinheiro da verba indenizatória.

A defesa de Sandra reforça que a dívida com a Netpub — que totalizou R$ 174 mil — foi integralmente quitada. A declaração é veementemente rebatida por Filipe Nogueira, ex-servidor lotado no gabinete de Sandra Faraj. Filipe é casado com a proprietária da Netpub, a empresária Michelly Nogueira.

Sandra Faraj já foi condenada pela justiça a pagar mais de R$150 mil à empresa NetPub. Ela recorreu e mesmo assim  a justiça ontem determinou a penhora de seu veículo de luxo para garantir o pagamento à empresa de seu ex-funcionário.

Juarezão tem agora 15 dias para analisar a defesa considerada “frágil” pelos deputados ouvidos pelo blog. A situação da parlamentar é mesmo complicada. Inclusive porque corre processo em segredo de justiça contra ela no Ministério Público.

O interessante é que Sandra Faraj alega na defesa, que teria pago o restante das parcelas em dinheiro, mas a própria CLDF proíbe tal manobra. É preciso apresentar comprovante de depósito ou transferência bancária, ou na pior das hipóteses, cópia de cheque nominal ao prestador de serviços. Ela nunca apresentou comprovantes. Ninguém recebe da CLDF  dinheiro da verba indenizatória, saca e paga fornecedor em dinheiro vivo.

A situação da parlamentar está cada vez mais complicada, segundo informações.

 

 

Fonte: Donny Silva

Deixe uma resposta

Top